Capital do Calceteiro


FANHÕES – CAPITAL DO CALCETEIRO

Bem-Vindos!

Numa clara homenagem ao Homem e à profissão, a Junta de Freguesia de Fanhões registou a marca FANHÕES – CAPITAL DO CALCETEIRO no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, com o Nº 597335, com direitos autorais para fins publicitários ou promocionais, bibliotecas de referência e registos documentais e publicações on-line. O registo da marca é a base para que uma série de projectos que nos comprometemos possam ganhar forma. Ancoramos a nossa atividade nas ideias e sugestões dos Calceteiros da Freguesia, principalmente o Mestre Zé da Clara e também a disponibilidade e interesse do Drº Ernesto Matos, autor do livro FANHÕES-HOMINES PETRAE, com um arquivo e um riquissímo conhecimento sobre os homens e as obras, que têm sido fundamentais e que mereceu entre outros um artigo na Sepa – Sociedade Portuguesa para o desenvolvimento da educação do turismo ambientais

Ver algumas páginas do Livro, que pode adquirir na Junta de Freguesia:

Fanhões – Capital do Calceteiro Mestre Zé Clara – Estátua

Visitar Livro Páginas 16   

Visitar Livro Páginas  18_19 (Poema Mestre Zé da Clara)

Visitar Livro Páginas 42_43

Visitar Livro Páginas 60_61

Visitar Livro Páginas 65_108

Visitar Livro Páginas  109_140

Visitar Livro Páginas 124_127

Visitar Livro Páginas 146_147

 

O FUTURO

Um dos objectivo é a construção de um Núcleo Museológico do Calceteiro e Etnográfico da Freguesia, assim como um Memórial ao Calceteiro e a criação de uma Rota de Calçadas, entre outras actividades.

Também prevista está a criação de parcerias com a Câmara Municipal de Lisboa, nomeadamente através da sua escola de calceteiros, disponibilidade e consulta do espólido de moldes e diversa documentação. Está ainda prevista a inclusão da Rota das Calçadas e da Azuleijaria de Fanhões na Rota do Memorial do Convento, o que acrescentaria interesse aos visitantes da freguesia.

Dados dos Relatórios de Execução

04 2018 Aes 04.FANHÕES-CAPITAL DO CALCETEIRO

06 2018 Aes 04.FANHÕES-CAPITAL DO CALCETEIRO

 

NOTÍCIAS E CURIOSIDADES

Criação da Associação da Calçada Portuguesa

Lisboa que Calçada Portuguesa como Património da Humanidade: http://www.lisbonne-idee.pt/p2975-lisboa-quer-calcada-portuguesa-como-patrimonio-humanidade.html

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Resolução da Assembleia da República n.º 54/2018 Recomenda ao Governo a valorização da calçada portuguesa e da profissão de calceteiro.

Século Ilustrado “Diz-me por onde andas” 22 de abril de 1907

Século Ilustrado Calceteiros_1      Século Ilustrado Calceteiros_2      Século Ilustrado Calceteiros_3

REPORTAGEM TV FANHÕES

Pedras com arte

"Desta terra nasceram grande parte dos mestres calceteiros que nos deixaram grandes trabalhos feitos em calçada portuguesa, quer em Lisboa, Portugal e no resto do mundo“, informa um comunicado de imprensa. „Esta obra literária revela a identidade desses homens quase anónimos e que diariamente pisamos o seu magnifico trabalho.“Em 2012 a Tv Fanhões foi conhecer o museu particular do calceteiro Zé da Clara, e tentar saber um pouco mais da arte da calçada Portuguesa!

Publicado por TV Fanhões em Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2018

 

Livro Scriptum in Petris – Apoio da Junta de Freguesia de Fanhões

Sinopse Scriptum in Petris

Fanhões no livro 

Visitar ao Livro pags_2_3

PALESTRA DE CALÇADA PORTUGUESA A ARTE SOB OS NOSSOS PÉS

CURITIBA – BRASIL

 

ARTESANATO

Caneca Fanhões – Capital do Calceteiro.

Obra e arte de Luísa Flores.

Poderá personalizar a sua caneca, por exemplo com o nome de um calceteiro, família ou algo que vier à imaginação.

 

T-Shirt  – Fanhões – Capital do Calceteiro.

Obra e arte de Carlos Luís Machado.

 

ARTE NA PEDRA

Uma iniciativa pública da Junta de Freguesia de Fanhões no âmbito de Fanhões – Capital do Calceteiro, que conta com a colaboração do Dr. Ernesto Matos, aberta a artesãos, artistas, entidades, instituições entre outros que queriam colocar a sua arte e a sua visão numa pedra de calçada. É objetivo desta iniciativa colocar as peças em exposição permanente na Junta de Freguesia de Fanhões, para que possam ser publicamente apreciadas e divulgadas.

Uma vez que apenas a peça entregue fica em exposição, pode o autor reproduzir as peças de sua autoria e comercializá-las de modo a dignificar a sua obra pessoal e a Freguesia. Estimula-se, assim, o artesanato como atividade económica. Numa terra onde existem artesãos de talento e pessoas com muitas valências e ideias, não será difícil atingir o sucesso pretendido por todos.

Esta iniciativa realiza-se de 15 de Maio de 2018 a 31 de Agosto de 2018.

Consulte aqui o regulamento

Mais informações contacte a Junta de Freguesia

 

previous arrow
next arrow
Monumento ao calceteiro
Shadow
Slider

Galeria

Agenda